domingo, 13 de dezembro de 2015

divisor de águas

Acho que foi um pequeno divisor de águas na situação toda. Meu coração passou por diversos sentimentos hoje que eu nem faço ideia de como ainda estou aqui forte e firme pra escrever. Era algo importante, sabe? Não ia fazer diferença na minha segurança na hora da prova ou se ia mudar alguma coisa na minha nota, não, não ia. Mas era o fato de desejar, se importar, de estar ali, de estar presente, de demonstrar que se lembrou e sabe o que eu senti quando desliguei meu celular pra entrar na sala? Que tem sido tudo em vão. Me senti insegura, não em relação a prova mas sim em relação a nós. Me peguei o dia inteiro pensando "será que eu tô certa?" e 90% das vezes a resposta foi não. Me senti um zero a esquerda, um simples fantoche nessa tua nova fase, um simples apetrecho chamado ex namorada, um porto ou pior, um estepe pra que quando as coisas apertarem, é olhar em volta e me enxergar. Eu não pude e nem vou te cobrar o que deveria ter sido o mínimo da consideração pelo nosso relacionamento, pela nossa amizade e pelo nosso amor. Tive a sensação bizarra que uma festa foi mais importante do que por um lembrete, ou até antes de ir dormir me desejar uma boa prova porque você sabia o quanto isso era importante. Mas o que eu posso fazer? Nada. Eu só finjo que tá tudo bem, escuto uma música triste, fico chateada e fico repetindo diversas vezes pra mim que tá tudo bem, que vai passar, que eu sou muito melhor do que isso que venho sendo.
Só às vezes dói na alma o quanto a gente e esforça pra que algo dê certo e nada é retribuído.
Sei lá, precisava escrever isso. Me sentir aliviada, depositar essa chateação, ou seria raiva? em algum lugar porque eu não posso mais e nem quero te cobrar algo que deveria ser tão claro.
Eu não posso mais te cobrar que você preste atenção em mim, que me ponha em primeiro lugar ou que esteja aqui pra mim.
Porque eu tô sozinha, eu tenho que me por em primeiro lugar e eu tenho que prestar atenção em mim mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário