sábado, 31 de dezembro de 2011

A wishful new year to you all.

Então é isso. Acabou. Esse ano tão... diferente, tão difícil e tão repleto de descobertas. Eu queria agradecer até aqueles que me trouxeram dores. De fato, eu quero agradecer apenas. Não foi um dos melhores anos e confesso, a culpa foi minha. Mas tá aí, a vida sempre dá uma chance, certo? 2012 é a minha chance. Assim como espero que seja para todas as outras pessoas. É só ir tentando não é, tentando que uma hora a gente acerta! E uma das coisas que eu mais quero agradecer, talvez agradecer a vida, por ter colocado pessoas maravilhosas na minha vida. Principalmente aquelas que conseguiram mudar todo o rumo do meu ano nos últimos meses. E então, é isso. 


Vamos rir, vamos chorar, vamos gritar, vamos comemorar, vamos esquecer dos problemas só por hoje, vamos sair dessa realidade tão triste, vamos sorrir e abrir os braços pra mais um ano que está chegando para nós. Só vamos ser felizes, acho que isso basta.
FELIZ 2012 PARA NÓS! Que seja doce.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

Só pra constar nos registros por aí

"Não pretendo te contar sobre minhas lutas mentais. Você terá nas mãos minha simplicidade e minha leveza, que podem não ser totalmente verdadeiras, mas foram criadas com muito carinho pra não assustar pessoas como você. Não vou ficar falando sobre a complexidade dos meus pensamentos, minha dualidade ou minhas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Vou te deixar com a melhor parte, porque eu sei que você merece. Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.
Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.
Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meu olhos. E a segunda opção ninguém mais tem."