sábado, 22 de outubro de 2011

Fuga Nº3

Vou pôr a culpa nesse tempo frio, na TPM, no final de mês, vou pôr a culpa em tudo mas menos em mim. Esses últimos dias vêm sendo frios e a minha "imunidade emocional" abaixou muito; e não é porque estou sentindo falta de um abraço ou de alguém pra me esquentar, mesmo que de longe. É só que... Tenho andado triste. Perdi aquela felicidade minúscula que eu usava toda vez ao acordar; não faço ideia aonde foi parar e estou cansada demais para ir atrás para procurá-la. Eu tenho contado os dias para que esse ano acabe e eu possa enfim recomeçar de vez... E eu sei muito bem que isso é só mais uma desculpa pra empurrar com a barriga todos esses problemas. Quando vier 1º de janeiro vai continuar tudo a mesma coisa e eu vou me sentir mais perdedora ainda. Eu só não sei mais o que fazer, sabe? Tô cansada de tentar fazer tudo dar certo e a vida insistir em fazer com que eu saia perdendo em tudo. Já se passou quanto tempo? Meses e meses e até agora o tempo não conseguiu me curar e eu juro que tenho feito o meu melhor... Só queria poder ficar na minha cama, com as minhas músicas melosas, poder esquecer que eu tenho que viver um pouco. Eu sei que isso é covardia mas eu cansei de ser corajosa e enfrentar tudo e mesmo assim conseguir sair perdendo. Eu só queria fugir um pouco da vida.


Hopeless

domingo, 16 de outubro de 2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Life goes on

"Life goes on." 
Sim, a vida continua de uma forma ou outra, sempre continua. O difícil mesmo é saber parar de preencher com coisas fúteis aquele vazio, parar de tapear a nós mesmos e começar a abrir os olhos para o que está por vir. Bem, eu já abri os olhos; vejo claramente que Outubro irá me trazer coisas boas e que esse caminho que venho trilhando talvez não esteja errado. Eu só não consegui até agora parar de tapear minha vida, essa tem sido uma das partes mais difíceis, lembro muito bem quando me disseram a primeira vez que eu sempre sabotava minha vida. De fato, já me sabotei muito; sabotei minha chance de ser feliz ao lado de alguém, sabotei minha chance de fazer algo dar certo, cheguei até a sabotar a vida de alguém que amo... Todavia eu agora consigo enxergar o que eu fiz comigo mesma; cavei um buraco muito profundo e quantas vezes passei noites em claro tentando achar o modo mais fácil e menos doloroso de sair daquele buraco? Muitas vezes... Porém consegui sair dali, claro que com algumas ajudas e agradeço tanto essas pessoas por terem estendido a mão quando mais precisei, quando aquela mão que eu esperava ser estendida, não foi estendida.
Eu fiquei louca, sabe? Perdi minha cabeça e eu tenho que fingir por aí que eu tenho alguma coisa aqui dentro ainda. Quem é que vai querer ficar com alguém desse jeito? Quem é que vai querer ficar comigo agora? Ninguém vai querer. Entretanto, infelizmente, preciso fingir que não sou louca, que não sei mais da razão nem da emoção, preciso fingir. Nessas horas bate um desespero, entende? Um desespero de que talvez eu não vá encontrar alguém que não vai se assustar com essa minha loucura, com meus ciúmes, com minhas manias e sentimentos; desespero de que quando alguém chegar a me conhecer inteiramente não queria ficar comigo porque sou louca... Quem vai compreender minha loucura? Tá, tá, tá, eu sei que apenas eu preciso me entender mas é que... Tá pesado demais isso tudo. Tenho me tapeado demais e às vezes chego até a pensar que todos esses momentos felizes que tenho conseguido viver e aproveitar, são meramente ilusões. Mas é assim mesmo, uma hora tudo vai ficar bem. Uma hora fica bem pra mim, pra você, pra ele, pra ela, pra todos nós.