quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Passou por mim.

"Você passou por mim, passou por dentro de mim como se eu fosse um fantasma. Não havia no teu semblante nenhum sinal da minha presença. Passou por mim como se eu fosse apenas mais uma pessoa no meio da multidão. E quando passou me levou junto contigo, tirou a minha respiração apenas com um murmúrio da tua voz. E você passou por mim e nem sequer a luz do teu olhar me deu. Me faz falta.. Me tornei um monumento ao meu amor destruído, um memorial vivo do que já se foi e não volta mais, e às vezes me pergunto se foi tudo real, se foi real a tua mão a apertar a minha, se foi real aquilo que nos uniu e principalmente se foi real o teu sorriso a iluminar o meu. Passou por mim, e eu estava ali... Está aí? Por acaso lê as minhas palavras de dor? Eu lutei por ti, errei por mim e depois eu lutei como uma guerreira, eu lutei com toda a força que tinha na minha alma pra que tudo voltasse a ser como antes e você sequer percebeu isso. Eu não desisti, mesmo quando foi embora de mim pra partilhar um pedaço do teu amor com outra pessoa. Que culpa tenho eu de ser imperfeita? Que culpa tenho eu de ter manias e vontades? Eu sucumbi a tua partida, e mesmo quando disse que me amava, eu acreditei. E tu passou por mim e eu fiz uma lista de tudo aquilo que eu odiava em ti. A porcaria do papel só tem uma frase: "ele não me amar mais". E eu odeio o fato de te admirar tanto porque a luz que a tua alma emana é tão forte que ofusca o meu espírito. E você vem aqui? Roubou os meus sonhos, roubou o meu ar, roubou as minhas palavras, que merda de mundo é este onde não te tenho junto a mim? Às vezes por um instante te sinto junto a mim, e sinto a batida uníssona dos nossos corações, um momento que só dura um segundo mas que parece uma eternidade.
Passou por mim, meu amor."

Nenhum comentário:

Postar um comentário