sábado, 6 de agosto de 2011

Caminhos.

Nós acabamos percebendo que erramos de caminho uma hora. Uma hora nós olhamos para o céu e percebemos que sequer a Lua está do nosso lado e aí começamos a nos sentir sozinhos, perdidos e sem motivação para continuar. E voltar é quase que impossível porque não lembramos de deixar uma trilha caso alguma coisa aconteça na caminhada. E aí caminhamos, caminhamos sem saber aonde estamos indo e acabamos nos perdendo mais e mais. E ainda tem os que caem em buracos. Eu fui um desses. O meu buraco foi o mais profundo, quero dizer, talvez... Ainda não tive a chance de sair daqui para dar olhada em outros. Caí feio e estou machucada, com frio, com dor... E eu tento lembrar aonde errei pra ter caído aqui e infelizmente eu lembro (e isso vai me assombrar por tanto tempo), eu disse que era preciso seguir um caminho diferente mas eu não pude contar a ninguém e então eu segui. Segui tão sozinha mas eu até que me dei bem - no começo -, só que eu acabei me perdendo outra vez. E custei para achar o meu antigo caminho, tive de andar muito e até hoje tenho marcas em meus pés. Porém o encontrei e pude por alguns dias caminhar sem alguma preocupação aparente. Por alguns dias, apenas. Daí eu me perdi outra vez. Só que dessa vez está pior. Eu caí.
Sabe uma coisa que eu prometi a mim mesma? Que quando eu sair daqui, eu irei andar no caminho certo ao lado da pessoa certa. É promessa e eu tenho que cumprir. Por mim, por você, por nós. Apenas um caminho e nada de voltar atrás. Só que eu ainda espero uma corda pra me ajudar a sair daqui.
Apenas uma corda. E tudo está acabado. Pelo menos por aqui em baixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário