terça-feira, 26 de julho de 2011

Eu me tornei tão patética. Tão vazia. Tão só. Tão autodestrutiva. Tão você.
E eu achei realmente que eu poderia lhe preencher, sei lá, pensei que poderíamos nos preencher outra vez. Nos preencher com nosso vazio. O nosso tão bonito vazio. Entretanto, você não quis. Por que eu fui acreditar que você era diferente de todos os outros? Ei, eu sei que fui realmente diferente dessa garota tão doce que você está se apaixonando. Sei que fui, do extremo bom ao extremo ruim. Porém, independentemente do que nos aconteceu, do que eu lhe fiz, achei realmente que você fosse maduro o suficiente de chegar em mim e me falar o que está acontecendo e não ficar me evitando ou fugindo como se eu fosse o caçador. Seria bem melhor, pois assim eu não iria criar histórias e mais histórias aqui na minha cabeça. Porque imagino que você saiba exatamente como eu sou com minhas suposições. Achei que você era diferente. Eu até lhe disse isso, se lembra? "Porque você é diferente. - Mas por que eu? - Porque eu te escolhi." Se lembra? Ou já ignorou como tem feito comigo nesses dois últimos dias?
Você é mesmo diferente? Eu sei que não tem que me provar na-da. Mas você era o meu ideal, aquele-que-seria-o-primeiro-da-minha-vida. Só que infelizmente, terei que me contentar com o você-está-só-sendo-mais-um-idiota-que-eu-achei-que-era-diferente.
Mas não dá. Você mesmo fazendo merda assim, eu continuo achando que vale a pena, que você é aquele. Aquele que eu sempre esperei, não sei o porquê de achar isso mas eu apenas sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário